Fabricação

1ª Etapa:

A madeira bruta é serrada e em seguida são feitos os cortes e furos de acordo com os diâmetros externos e internos de cada pio. A precisão das partes internas (corredores de ar) são de fundamental importância para atingir o som ideal. Nesta etapa, a madeira é preparada para ser acoplada ao torno                         

2ª etapa :

As partes dos pios são adaptadas em tornos com RPM ideal e, através de rústicas ferramentas (formões e paquímetros) confeccionadas na própria fábrica, inicia-se o desbaste e as medições da madeira, dando o design externo ao pio. Esta etapa não tem importância na afinação, entretanto é fundamental no caráter estético.

3ª etapa :

Considerada a mais importante e minuciosa, esta etapa é responsável pela qualidade do som; feita de forma individual e totalmente manual, com utilização de ferramentas extra afiadas, o que requer do artesão maior atenção possível, pois qualquer desbaste a mais pode acarretar a perda da peça. Alguns pios possuem trinadores, que quebram o som em forma de trinados e originam-se da polpa de galhos de alguns vegetais, pois esse material é constituído de fibras ultraleves e porosas, representando grande importância na suavidade do sopro.(foto 07 - trinadores)

4a etapa :

Todos os pios possuem no mínimo duas partes: boquilha e corpo, e outros possuem até sete partes: boquilha, eixos, polias, correias, palhetas, buchas, trinadores. (foto 08 - pio desmontado). Essas partes depois de serem devidamente lixadas e lustradas com o próprio serralho resultante do desbaste, serão encaixadas , coladas, e posteriormente recebem camadas de selador (nivelador de reentrâncias e calafetador de possíveis vazamentos) nas emendas das partes que compõem o pio. Após esses processos, serão envernizados em câmaras especiais.

 

Pague com
  • Depósito Bancário
Selos
  • Site Seguro

Industria e Comércio Maurilio Coelho ME - CNPJ: 27.179.472/0001-00 © Todos os direitos reservados. 2017